segunda-feira, 17 de março de 2014

Análise do Jogo "O Elvas" vs Operário


Resultado injusto num grande jogo de futebol em que o Elvas fez tremer o adversário mais difícil desta 2ª fase, com duas bolas no ferro e uma mão cheia de ocasiões, mas a sorte desta vez esteve do lado açoriano.

Relativamente à primeira parte do jogo, nos primeiros 30 minutos o Operário exerceu uma forte pressão atacante para resolver cedo o jogo e o Elvas deparou-se com algumas dificuldades defensivas para parar o caudal ofensivo da equipa da Lagoa. A grande pressão alta do adversário fazia com que o Elvas não conseguisse sair com a bola jogável do seu setor defensivo e o enorme labor do médio guineense Ilmo, nº 15 ao serviço da equipa açoriana, que controlava todo o jogo quer defensivamente quer ofensivamente era uma autêntica máquina de construção de jogo que aniquilava o nosso meio campo. Ainda na primeira parte Mané faz uma grande arrancada e fura toda a defesa açoriana e oferece a bola a Lourinho que remata para uma grande defesa de João Botelho, foi a grande ocasião do Elvas na primeira metade do jogo.


Na segunda parte, o jogo foi mais equilibrado e de parada e resposta, em que o Elvas teve pelo menos 4 ou 5 oportunidades de golo, em que duas delas foram ao ferro da baliza de João Botelho, fazendo recuar bastante a equipa de André Branquinho. E surge o minuto fatídico (63) em que  o cabo-verdiano joazimar Stehb, jogador veloz e habilidoso, que foi um quebra- cabeças para a defensiva elvense em todo o jogo,  não perdoou um erro defensivo do Elvas e converteu o único golo do jogo. O Elvas perde 3 pontos, em parte devido à inoperância atacante, porque criou situações suficientes para vencer este jogo, ou mesmo para não o perder, mas os erros pagam-se caros perante este tipo de adversários e na minha opinião este é o adversário mais forte das oito equipas da série G e além disso reforçou bem o seu meio campo no mercado de Inverno.


No entanto, o Elvas tem vindo a melhorar, principalmente o entrosamento da equipa e a sua capacidade de combate e de condição física, muito graças ao enorme labor do seu técnico Jorge Vicente, o que não tem nada a ver com as prestações da equipa na 1ª fase em que a sua debilidade física era notória e agora dispõe de jogadores com capacidade suficiente para enfrentar qualquer adversário, o que nos leva a pensar que poderemos ir a Sintra discutir o resultado sem qualquer receio. De referir que deve-se trabalhar mais as jogadas de estratégia para aproveitar a boa elevação de Danilson e melhorar os passes da defesa para a zona de construção, para não se verificarem perdas de bola em zona perigosa.


De qualquer forma, a situação relativamente a resultados dos nossos adversários não nos está a favorecer, visto que tanto o Ideal, como o Praiense estão a conseguir pontuar perante adversários do topo da tabela classificativa, o que nos está a dificultar ainda mais a recuperação para fugir aos últimos lugares e sendo assim, torna-se fulcral as duas saídas aos Açores nos campos do Ideal e do Praiense, como autênticas finais.


 Devemos continuar a acreditar nestes jogadores, nesta equipa técnica, na direção e principalmente nos sócios que sempre acompanharam a equipa, desde o primeiro dia do início do campeonato, porque esses são os que sempre sentiram o nome do clube, nos bons e maus momentos.



9 comentários:

  1. É uma vergonha 2000 pessoas para quê se não apoiam a equipa e só dizem mal não vale a pena lá estarem. Desses 2000 talvez uns 100 sofrem com o clube. o melhor é a direção por os bilhetes de sócio a 2,5 euros em vez de 4 e mantém o preço dos não sócios, porque quem se aproveitou com isto foram os não sócios que viram um jogo de 2ªB sem pagar e a receita de bilheteira é que sofre e o Elvas precisa de fazer dinheiro. Compreendo a intenção da direção mas não resultou a ideia porque esta gente estão de costas viradas para o clube.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sinto ter que discordar com o seu comentario mas acho que se fosse possivel conhecer os lucros da rifa do domingo teriamos uma surpressa. Ontém TODA a gente deu 1 euro. Se nao estou enganado no campo Patalino poderiamos estar por volta de 1000 pessoas (1000 euros). Quando é que temos tido essa receita nesta época 2013/2014?

      Eliminar
  2. O Elvas nunca precisou de obrigar as pessoas a virem ao estádio só vem quem quer e quem é amigo do clube e os resultados é que poderão com o tempo trazer mais gente ao campo mas verdadeiros adeptos do Elvas, que vão aos jogos e aos treinos e que conhecem os jogadores e treinadores e nunca pessoas que vão para o estádio e em vez de verem o jogo falam do Benfica e do Sporting e alguns até chamam Baleizão ao Jorge Vicente e todos os que acompanham de perto o clube sabemos que há uma grande diferença entre os dois não só física mas como treinadores. As direcções anteriores são as responsáveis por este desinteresse pelo Elvas e não vale a pena dizer mais porque já muito se falou nisto à 2 anos.

    ResponderEliminar
  3. Grande jogo da equipa do Elvas mas infelizmente e injustamente perdemos. O Operário tem uma equipa mais consistente, um orçamento o dobro do nosso e 2 ou 3 elementos que desequilibram bastante.
    Boa decisão da direcção ao abrir as portas. Deve-se repetir até ao final da época.
    No entanto, o que é certo, é que já estamos em zona de descida novamente e estou a ver a coisa muito perigosa. O Ideal e o Praiense andam a vencer e empatar com clubes que não se sonhava que o fizessem e se continuarem assim vai ser muito difícil ao Elvas safar-se, uma vez que até ainda tem que ir aos Açores jogar com os dois.
    Mais dois comentários:
    Na 2ª volta desta 2ª fase deviam-se organizar autocarros para os jogos fora. A CME que esteve presente neste jogo e deve ter gostado não iria negar este apoio.
    Se tivessemos esta equipa desde a 1ª jornada a esta hora estavamos mais que safos, bem longe da zona de despromoção. Má gerência desportiva.

    ResponderEliminar
  4. Precisamos urgentemente de modificar aquilo que está mal na equipa e parece-me que é a altura ideal para o fazer. Digo isto porque se nota como se encontra incómodo na posição de central o Braima, não ganhamos um central e estamos a perder o centro campista, parece-me que a entrada do Rui Santos se justificava neste momento. Falando no meio campo a zona mais importante para qualquer equipa, nota-se falta de consistência, e, porque não a entrada de João Carapinha, com a entrada destes dois jogadores ganharíamos altura para as bolas paradas, ficaríamos com quatro torres tanto para atacar os cantos como defendê-los. No fundo e quanto a mim daria esta equipa: Rafael Santos; Canoa, Rui Santos, Danilson e Rui Cardoso; Braima, Luis Carapinha e João Carapinha; Lourinho, Mané e Gregg.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não estou de acordo pois se tivesse que mudar seria por o João Carapinha ao lado do Danilson e reforçar o meio campo com Braima e Largueiras como médios defensivos e Luís Carapinha e Aricson como orientadores de jogo

      Eliminar
  5. O problema disto tudo é que nós reforçamos a equipa bastante e o Praiense e o Ideal não se reforçaram e mesmo assim estamos atrás deles e até o Praiense perdeu o seu melhor jogador o Marco Aurélio que foi para o Tondela. Isto vai ser muito difícil pois cometeram-se muitos erros na 1ª fase e agora é complicado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. EU ACREDITO
      Adepto de Lisboa, que tem visto a equipa nesta fase, jogar muito bem fora de casa.

      Eliminar
    2. Estamos a trás deles porque tivemos uma derrota e eles tem tido a felicidade de conseguir sempre pontuar. Quem acompanha futebol sabe perfeitamente que quando se está nestas posições qualquer deslize vai sempre colocar pressão na equipa. Isto é futebol meus caros. Na semana passada fomos uma vez à baliza do Casa Pia e marcámos este jogo mandámos 2 bolas ao poste e tivemos outras tantas ocasiões de golo desperdiçadas e perdemos é a vida, mas não podemos por esta vitória estar a por em causa todo o trabalho da direcção, equipa e equipa técnica. Ainda nada está perdido como na semana passada quando estávamos na zona de manutenção estava já garantida. Ainda falta muitas jornadas temos equipa para fazer frente a qualquer equipa como já foi demonstrado agora é lutar e nós sócios e adeptos temos de apoiar a equipa, quer seja em Elvas quer seja nos jogos de Lisboa quem tenha possibilidades de ir ou vive por lá se deslocar para apoiar.

      Eliminar