terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Análise do Jogo "O Elvas" vs Sintrense


Foi o primeiro jogo de Jorge Vicente perante os adeptos do Elvas e podemos dizer que as pessoas ficaram satisfeitas com a atitude da equipa em campo, mas com alguma tristeza pela derrota obtida, penso que injusta, pelo trabalho realizado, quer pelo treinador, quer pelos jogadores e só lamentamos dois aspetos, a incapacidade na finalização e a arbitragem habilidosa, que foi mais uma vez prejudicial ao clube alentejano. Na primeira parte o Sintrense entrou bem no jogo com uma boa circulação de bola e uma pressão alta não permitindo a saída do Elvas para o ataque, mas passados 15 minutos o Elvas começou a ter mais posse de bola e a fazer boas transições defesa/ataque, pecando apenas no último passe.

A grande penalidade não convertida por Luís Carapinha e a bola ao poste por Canoa, foram a chave deste jogo, porque o destino do jogo seria certamente outro se estas duas soberanas ocasiões fossem convertidas. E quase toda a primeira parte pertenceu ao Elvas com uma grande dinâmica de jogo e enorme recuperação de bola, principalmente por Galaxo e Largueiras e até os próprios avançados tiveram uma função árdua defensiva, para não deixar jogar a equipa de Sintra. 

A equipa funcionou como um bloco compacto cortando as linhas de passe do adversário, mas faltou-lhe os passes de rutura que lhe permitisse abrir a defensiva da equipa de Tuck, que se apresentou em Elvas muito bem organizada defensivamente e rápida nas transições aproveitando a velocidade principalmente de Yoruba. 

O Elvas continua a demonstrar grandes problemas no setor defensivo, em que a falta de velocidade é enorme, mas é uma característica que não tem a ver com o treino físico, mas sim com as qualidades dos jogadores e quanto a isto, só poderemos dizer, é necessário contratar alguém com velocidade que dê segurança defensiva. Também no setor atacante é necessário um finalizador e sem esquecer que ninguém no plantel tem capacidade para substituir o Aricson.

Quanto ao guarda-redes, o Luís Marques na segunda parte fez uma grande exibição e só precisa trabalhar mais o jogo aéreo. Nesta segunda parte, já se jogou mais com o coração do que com a cabeça e por vezes nota-se a falta de capacidade de alguns jogadores para estas andanças.

Como até Janeiro só faltam dois jogos, depois com algumas aquisições, poderá a equipa ficar mais equilibrada, tanto a defender como no processo de construção de jogo, o que dependerá também da qualidade dos atletas que possam ingressar no clube para se poder enfrentar a segunda fase de uma outra forma.


3 comentários:

  1. Deduzo deste comentário o seguinte: Antigamente o treinador não prestava e os jogadores eram bons, agora esses mesmos jogadores já não têm "capacidade para estas andanças" e o treinador é muito bom.

    ResponderEliminar
  2. Já o antigo treinador fazia e agora o actual também faz. Porquê de todos os defesas centrais do Elvas o único que não tem hipótese de mostrar serviço é o João Carapinha? Acho que apostar na dupla Carapinha e Rosinha traria velocidade e juventude à nossa defesa que bem precisa. O Rui Santos esta época está uns furos a baixo do que já demonstrou noutros anos na 3ª Divisão.

    ResponderEliminar
  3. Mas também tirar o rui santos e meter o rosinha?? O ruis santos nem parece que é experiente pois tem infantilidades mas o rosinha estar la ou não é igual.

    ResponderEliminar